Amadurecimento

Mas eu volto...

00:11
Tenho a sensação que estou no lugar errado de onde devia estar, mas não sei bem onde, nem pra onde devo ir. Olho-me no espelho e vejo a paz que outros veem em mim. Do lado de dentro tem um temporal. O vento carregou tudo que podia.  A chuva molha sonhos rabiscados pelo chão. Vejo quem eu devia ter sido e quem me tornei e as tantas outras partes de mim que me desfiz pela vida. As escolhas erradas, os momentos que me calei, tudo passando como um filme de comédia ruim.
Se eu me concentrar nos olhos, posso ver a falta de luz neles. E entendo porque do lado de dentro eu passei enxergar as coisas cinza. Para quem olha de fora, o excesso de delineador e rímel ajudam a disfarçar. Sinto-me ausente de mim. Inconsciente de mim mesma. Ainda sim com tantos prazos para cumprir. Metas de um personagem ideal que não consigo alcançar. Frustrações reais de quem ainda não desistiu por completo.
O caos e os cacos não são perceptíveis aos olhos no espelho. Me iludo, me encanto, me despenco. Se eu não reconheço o caminho de volta, como posso seguir? Foram tantos altos e baixos na vida que não sei se estou no vale ou de cabeça para baixo num looping. Desilusões, decepções, dissabores... me descuidei. Pelo menos eu amei.

Aquele outro lado cama desarrumada. Aquele corpo quente embaixo das cobertas. Eu posso fechar os olhos e sentir você lá, mesmo quando eu não estou em lugar nenhum. Você sabe. Você percebe que alguma coisa está errada e você sorri, sondando a minha dor. Em algum lugar eu estou aqui. Pode estar tudo confuso agora, mas lembro de quem eu era. Procuro a sua voz nas minhas lembranças e começo daí. Ganho forças ao lembrar de mim, de nós. Me concentro, me simplifico, me abro... eu volto.
Resenha

Containment - Nova série

21:40

Como prometido no início do mês, vamos falar de séries! Uma paixão viciante da minha vida. Já cheguei a acompanhar 36 títulos ao mesmo tempo. Sou bem eclética quanto ao gênero - só não me atraio por terror e comédia - minhas preferidas são Game of Thrones, que estréia hoje a 6ª temporada; The Walking Dead, que acabou de acabar, mas deixou em seu lugar Fear na 2ª temporada; e Grey's Anatomy, me fazendo chorar no andamento da 12ª temporada. Com o tempo vou revelado mais!

Essa semana (19), estreou a nova queridinha da CW, Containmente, baseada na série belga CordonDirigida por Julie Plec (The Vampire Diaries e The Originals) e David Nutter (Game of Thrones), a série terá 13 episódios e contará com Chris Wood (The Vampire Diaries), David Gyasi (Interstellar), Christina Moses (Starship), Kristen Gutoskie (Espíritos Inquietos), Claudia Black (The Originais), George Young (Casualty) e Hanna Mangan Lawrence (Spartacus).



A série trata de uma epidemia, um vírus altamente contagioso e letal que se espalha em Atlanta, forçando as autoridades locais e federais a instaurar uma quarentena urbana. A sinopse oficial da série promete ainda uma possível conspiração e vários dramas paralelos entre os personagens.

O episódio piloto trabalha com o recurso de atemporalidade - aquele que mostra o futuro e o presente, num vai e vem temporal - o que prende a atenção do telespectador. Ele também é bem dinâmico e tenso. A série inclusive foi comparada à The Walking Dead, só que sem os zumbis! Ela é forte e um pouco sombria. Assista ao trailer da primeira temporada!




Na minha opinião, a série tem tudo para ser incrível! Bons atores, produtores experientes e um bom tema. A parte ruim é que ainda não está sendo exibida na tv brasileira, mas você pode acompanhar tudo na página feita pelos fãs do Brasil no facebook (aqui). Agora é torcer pelo sucesso dela lá fora, para que entre na programação o quanto antes!

E você, curte séries? Quais que você anda assistindo? Me conta tudo!
Alegria

Meus longos vinhos

20:00









*imagem retirada do Google, link aqui

Li em algum lugar nessa vasta internet de meu Deus: "como o passar dos vinhos, anos vão ficando melhores". Não posso expressar o quanto é a minha cara essa frase. A primeira coisa que aprendi com o vinho foi rir! De mim, dos outros, do que não tem graça, de qualquer coisa, o importante é saber deixar os lábios relaxados, esquecer daquela pose sisuda e os dentes cerrados de quem está o tempo todo com pressa, com medo, na luta. Sorrir, se for fácil, é cada vez melhor, é contagiante, é terapêutico, é um ato de rebeldia.

 Com os anos passados, pesados, contados, contidos, eu tinha tantas certezas. Eram regras certas, eram preceitos firmes e um rumo bem traçado, coordenado, conquistado, destinado para mim. Eu ouvia os conselhos de quem eu pedia, quem se intrometia, quem eu nem sabia que existia. Lá estava eu, segurando todas as pontas, pensando em todos os lados, pesando opiniões. Lá não estava eu. Eu gosto de vinho rosé, uma balada alternativa na vitrola, velas, violão, canção, chiclete de canela e flor.

Agora estou em outra, sendo mais estranhamente eu. Sendo mais feliz, rindo mais, dançando de calcinha e fones e sem me preocupar com o amanhã. Já vivi alguns anos, mas bons só começaram a pouco tempo, não sei bem quanto, parei de contar o tempo pelas horas, agora os dias são medidos em longas conversas sob o luar. Soltei os cabelos sobre onde costumava ficar o peso do mundo. Colori a boca outrora pálida e imóvel, descalcei os pés e desarmei a alma e vou vivendo.

Onde vou? Não sei. Como? Dançando. Com quem quiser me acompanhar, com quem quiser meu bem, com quem fizer o bem. Caminhando e bailando e trocando passos por longos períodos de descanso sob as árvores. Vendo a vida passar, vendo a vida chegar, celebrando o milagre de estar viva. Um brinde a essa lado bom da vida!

INSCREVA-SE